4 de julho de 2011

Biblia da Mulher

A Biblia da Mulher





Elizabeth Candy Stanton
   Em 1895, Elizabeth Candy Stanton publicou uma Bíblia para mulheres, com a intenção de libertar-se daquilo que alegava ser a “opressão” das Escrituras. Fez comentários de textos de particular interesse das mulheres e retirou versículos que considerava corrompidos por uma tendência machista. Foi motivada por questões de sua experiência pessoal e estava ávida por uma posição acima das Escrituras. Esse posicionamento contribuiu para a construção ideológica de uma teologia feminista, que faz da consciência individual e da experiência pessoal a base final para a interpretação das Escrituras. Um século mais tarde, a equipe editorial da Biblia da Mulher (The Woman's Study Bible) escolheu colocar-se sob a autoridade das Escrituras. Foi usada uma abordagem objetiva. Buscaram entender a mensagem da Bíblia, enquanto comprometiam-se a vivenciar seus princípios de fé e prática. Curvaram-se diante da absoluta veracidade e singularidade da Palavra de Deus. Não precisaram torcer, reescrever as Escrituras, redefinir suas palavras nem escolher o que iriam aceitar como autoridade ou o que exaltaria a razão humana. Ao contrário, comprometeram-se a pesquisar profundamente as Escrituras, a fim de encontrar uma palavra de Deus sobre a mulher e sobre como deve viver.