sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Qual a diferença entre a Bíblia Católica e a Bíblia Evangélica?

Bíblia Católica x Bíblia Evangélica

Qual a diferença entre a Bíblia Católica e a Bíblia Evangélica?





Por diversas vezes me perguntaram qual a diferença entre a Bíblia católica e a Biblia evangelica. A Bíblia Católica tem alguns livros a mais do que a Bíblia Evangélica. Por quê? Parece que os católicos desconfiam das Bíblias protestantes e os crentes desconfiam das Bíblias católicas. Este texto tenta aqui esclarecer um pouco esse assunto.

Índice


Antigo Testamento

Inicialmente é preciso observar que o Novo Testamento tanto das Bíblias católicas quanto das evangélicas são rigorosamente iguais. Ou seja, as diferenças estão no Antigo Testamento.
O Antigo Testamento nada mais é do que a Bíblia Hebraica, o livro sagrado dos judeus. Ninguém sabe exatamente como ou quando os livros do Antigo Testamento foram selecionados. Há, entretanto, alguns indícios apontados por estudiosos.
Foi provavelmente durante o exílio na Babilônia que o povo judeu começou a copiar e editar boa parte das histórias e ensinamentos que iriam compor o Antigo Testamento. Vários livros foram preparados nessa época como os livros dos profetas mais antigos. Livros da história de Israel, de Josué a 2 Reis. Os livros de Moisés, de Gênesis ao Deuteronômio. Salmos e Lamentações também foram compilados nessa época. Muito outros livros integram essa lista, muitos inclusive foram perdidos (a Bíblia cita 23 livros que nunca foram encontrados).

Septuaginta

A mando de Ptolomeu II, no século 3 a.C., foi iniciada uma tradução para o grego dos primeiros 5 livros da Bíblia (o Pentateuco). Uma lenda diz que 70 homens participaram do trabalho de tradução. Daí esta primeira Bíblia ser conhecida como Septuaginta. Nos 200 anos seguintes foi traduzido o restante dos livros. Durante algum tempo a Septuaginta foi considerada o próprio livro sagrado dos judeus.
Algum tempo depois da conclusão da Septuaginta o povo judeu iniciou o processo de canonização dos livros (método que estabelece quais livros são realmente inspirados). Nesse processo - que durou séculos, de 600 a.C. até o primeiro século d.C. - alguns livros não foram incluídos na Bíblia Hebraica. Como resultado, há diferenças entre a Septuaginta e a Bíblia Hebraica. Antes de tudo, a Septuaginta contém livros que não são encontrados na Bíblia Hebraica padrão (que permaneceu a mesma desde o segundo século d.C.).

Vulgata

No século IV Jerônimo traduziu completamente, para o latim, o Antigo Testamento baseado na Septuaginta. Esta excelente Bíblia foi chamada de Vulgata, por estar na língua vulgar (comum) do povo. Mais de mil anos depois, no século XVI, o Concílio de Trento declarou a Vulgata como o texto bíblico de autoridade. Porque havia sido “preservada pela Igreja por tantos séculos”, era para ser usada “em todas as leituras em público, em discussões, sermões e exposições”.

Apócrifos

Foi o próprio Jerônimo que chamou de apócrifos os livros presentes na Septuaginta e não presentes na Bíblia Hebraica. Essa foi uma atitude ousada pois muitos cristãos já haviam se habituados com esses textos. Na época da Reforma houve alguma hesitação sobre aceitar ou não os Apócrifos como livros inspirados. Na sua brilhante tradução para o alemão, Martinho Lutero agrupou os Apócrifos e os posicionou entre o Antigo e o Novo Testamento, dando indicações de que estavam separados e eram distintos das Escrituras. Na Biblia de Genebra de 1560 os Apócrifos receberam cabeçalhos especiais. A partir de 1825 a Sociedade Bíblica Britânica passou a não publicar mais os textos Apócrifos nas Bíblias protestantes. Recentemente temos visto algumas novas Bíblias evangélicas com os textos Apócrifos publicados separadamente em algumas edições.

Conclusão

  1. Há uma grande lista de livros escritos em hebraico ligados a tradições do povo judeu que serviu de fonte para a Bíblia Hebraica.
  2. No século III a.C. foi criada a Septuaginta, tradução para o grego de vários desses livros.
  3. Séculos depois da conclusão da Septuaginta é estabelecido o cânon judeu - a Bíblia Hebraica - deixando de fora vários livros da Septuaginta.
  4. No século IV d.C. Jerônimo publica a Vulgata, tradução da Septuaginta para o latim. Os livros presentes na Septuaginta que não foram canonizados pelo povo judeu são chamados, pelo próprio Jerônimo, de Apócrifos.
  5. No século XVI a Igreja Católica assume a Vulgata (com todos seus Apócrifos) como texto bíblico de autoridade.
  6. O Movimento Reformador rejeita os textos Apócrifos - alinhando-se assim com a orientação do povo judeu de que estes textos não são inspirados - e passa a publicar suas Bíblias sem esses textos ou publicando-os em anexos.

Comparando os livros sagrados

O Antigo Testamento protestante é idêntico à Biblia Hebraica, embora os livros sejam organizados de forma diferente. Na Igreja Católica Romana o Antigo Testamento inclui vários outros livros antigos de autoria judaica. Esses livros adicionais, conhecidos como Apócrifos, foram incluídos na Septuaginta mas os judeus decidiram não mantê-los em sua Bíblia. Os protestantes, mais tarde, seguiram a mesma decisão e os mantiveram fora da sua Bíblia.

As escrituras hebraicas (24 livros, alguns são coleções, ou seja, contem vários livros)
Antigo Testamento Protestante (39 livros)
Antigo Testamento Católico (46 livros) em vermelho os 7 Apócrifos
Gênesis
Êxodo
Levítico
Números
Deuteronômio
Josué
Juízes
Samuel
Reis
Isaías
Jeremias
Ezequiel
Os Doze (coleção que inclui Oséias, Joel, Amós, Obadias, Jonas, Miquéias, Naum, Habacuque, Sofonias, Ageu, Sacarias e Malaquias)
Salmos

Provérbios
Rute
Cântigo Dos Cântigos
Eclesiaste
Lamentações
Ester
Daniel
Esdras-Neemias
Crônicas
Gênesis
Êxodo
Levítico
Números
Deuteronômio
Josué
Juízes
Rute
1,2 Samuel
1,2 Reis
1,2 Crônicas
Esdras
Neemias
Ester

Salmos
Provérbios
Eclesiastes
Cântico dos Cânticos
Isaías
Jeremias
Lamentações
Ezequiel
Daniel
Oséias
Joel
Amós
Obadias
Jonas
Miquéias
Naum
Habacuque
Sofonias
Ageu
Zacarias
Malaquias
Gênesis
Êxodo
Levítico
Números
Deuteronômio
Josué
Juízes
Rute
1,2 Samuel
1,2 Reis
1,2 Crônicas
Esdras
Neemias
Tobias
Judite
Ester
1,2 Macabeus

Salmos
Provérbios
Eclesiastes
Cântico dos Cânticos
Sabedoria
Eclesiástico
Isaías
Jeremias
Lamentações
Baruc
Ezequiel
Daniel
Oseias
Joel
Amós
Obadias
Jonas
Miqueias
Naum
Habacuque
Sofonias
Ageu
Zacarias
Malaquias


Respostas rápidas
Pergunta: Quantos livros tem o Antigo Testamento?
Resposta: o Antigo Testamento na Bíblia católica tem 46 livros, 7 a mais que o Antigo Testamento evangélico (que tem apenas 39 livros).

Pergunta: Quantos livros tem o Novo Testamento?
Resposta: o Novo Testamento é rigorosamente igual tanto na Bíblia católica quanto na evangélica, ambas tem 27 livros.

Pergunta: Quais são os 7 livros da Bíblia católica que não estão na Bíblia evangélica?
Resposta: Os livros são: Tobias, Judite, 1,2 Macabeus, Sabedoria, Eclesiástico, Baruc. Estes livros são também conhecidos como livros apócrifos.






Referências:
  • A Biblia e Sua História – Stephen M.Miller & Robert V.Huber - Sociedade Bíblica do Brasil
  • Biblioteca Digital Da Biblia
  • Site: http://www.cancaonova.com/portal/canais/formacao/

28 comentários:

  1. qual a diferença entre SBB e SBT? porque alguns textos da SBB estão entre [ ]seria uma maneira de subistituir,ou futuramente descartá?se é a bíblia a palavra de Deus,o que vier na tradução dentro do que achamos,já não é palavra de Deus,e sim do homam.QUAL A DIFERÊNÇA SBB SBT?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sérgio

      Você vai encontrar colchetes apenas nas traduções Almeida Revista e Atualizadas (RA) da SBB.

      Veja, as sucessivas transcrições dos textos ao longo de séculos gerou um fenômeno curioso. Algumas anotações colocadas à margem dos manuscritos acabaram sendo incorporadas ao próprio texto. A tradução Revista e Corrigida (RC) mantém essas transcrições enquanto as traduções Revista e Atualizada (RA) conservam essas transcrições entre colchetes. Conheça detalhes sobre isso em: http://fonteevangelica.blogspot.com.br/2010/11/diferencas-entre-as-traducoes-biblicas.html

      Com relação à diferença entre as Bíblias da SBB e as Bíblias Trinitarianas (SBT), creio que essencialmente a SBT usa em suas traduções apenas os "Textus

      Receptus" para traduzir o novo testamento, enquanto a SBB utiliza, além dos mesmos textos, também outros textos mais antigos conhecidos como "Edições

      Críticas". A SBB vai um pouco mais além, permitindo-se publicar algumas traduções em linguagens atuais, como as versões NTLH.

      Veja, é comum encontrarmos textos na internet polemizando esse assunto (diferença entre SBB e SBT). Eu pessoalmente confio no poder do Espírito Santo para inspirar positivamente a mente e o espírito do cristão, independente da tradução bíblica que esteja em suas mãos.

      Um abraço e Deus abençoe.

      Ernesto

      Excluir
    2. Meu amigo, não sei se foi você quem escreveu tão bem embasado texto sobre a diferenças entre as bíblias.

      Os fatos apresentados foram confirmados por mim em outros textos que encontrei e declaro como excelente o seu trabalho de síntese e compilação.

      Sou católico, me interesso muito pelo texto bíblico, leio sempre as duas bíblias e o que mais me interessou no seu texto, foi a forma imparcial da análise. Isso não encontrei em texto algum antes do seu, nem católico, nem protestante.

      Parabéns!

      Que o Senhor esteja com você e em seus futuros artigos esclarecedores.

      Estamos em uma fase do cristianismo em que o entendimento geral das coisas está cada vez mais exigentes e um entendimento lúcido dos textos bíblicos nos ajudarão a encontrar a verdade plena.

      Que Deus te abençoe.

      Carlos Eduardo Bastos

      Excluir
  2. então não é biblia catolica que tem livros a mais, e sim dos evangelicos que tem a menos..pois foram retirados na reforma protestante...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De forma alguma, na verdade foi acrescentado pela criação Romana, pois na Original não possui os apócrifos, com o passar do tempo com a Reforma, foi retirado os Apócrifos acrescentado pela igreja Romana.

      Essa original que os da Igreja Romana diz ser "original", foi o que eles criaram e deduziram que era original, não pode trocar ou acrescentar nada, é o que é.

      Excluir
    2. Este comentário do Anônimo foi um tanto quanto infeliz, já que não foi a Igreja Romana que acrescentou os textos, os primeiros cristãos seguiam as escrituras que foram traduzidas para o grego entre 250 e 100 a.C., se foi antes de Cristo, como pode ter sido acrescentada pelos Romanos??? A questão é que por simples patriotismo, os rabinos judeus no Sínodo de Jâmnia, resolveram excluir os livros que não eram escritos em sua própria língua... Sim o Wildinar está certo, desde 100 a.C. que foram excluídos livros que já eram usados a muito tempo por pessoas que colocaram o humano acima de Deus.

      Excluir
    3. As palavras dos sábios são como aguilhões, e como pregos, bem fixados pelos mestres das assembléias, que nos foram dadas pelo único Pastor.
      E, demais disto, filho meu, atenta: não há limite para fazer livros, e o muito estudar é enfado da carne.
      De tudo o que se tem ouvido, o fim é: Teme a Deus, e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo o homem.
      Porque Deus há de trazer a juízo toda a obra, e até tudo o que está encoberto, quer seja bom, quer seja mau.

      Eclesiastes 12:11-14

      Excluir
    4. Wellington, convido vc dar uma lida na historia dos judeus para não afirmar cegamente que foi por mero patriotismo a não inclusão dos livros apócrifos (assim chamados pelo próprio Jeronimo, da vulgata), existem muitos fatores entre eles o fato de achar contradição naquilo que os judeus tinham recebido e aquilo que foi traduzido ao grego na septuaginta, é um dos fatores que motivou a descartar os 7 livros que não se constatam na Biblia hebraica até hoje..outro detalhe, a mensagem de salvação veio a ser anunciada primeiro para os judeus é logico pensar que eles não liam os rolos em grego nas suas sinagogas e sim em hebraico inclusive na época de Jesus.

      Excluir
  3. Pois bem, esta é a promessa de Deus para a sua Igreja, estar conosco "todos os dias até o fim do mundo". As Igrejas Protestantes surgiram só por volta do ano de 1519. Conforme alguns protestantes afirmam, a verdadeira Igreja de Jesus não é a Igreja Católica e sim a Igreja Protestante. Então Jesus só passou a cumprir a sua promessa a partir de 1519? E antes, no período compreendido entre a sua morte/ressurreição e 1519? Reflita bem. Será que Jesus só começou a cumprir a sua promessa a partir de 1519 e até este ano não havia Igreja?

    Respondemos que não. A verdadeira Igreja de Jesus é aquela que vem desde os Apóstolos, mas que foi dividida pelos homens. Jesus não queria a divisão da sua Igreja, apesar de saber, como Deus, que isto iria acontecer.

    Vejamos o que o próprio Jesus nos fala contra a divisão da sua Igreja: João. 17,21-23: "A fim de que todos sejam um, como tu, Pai, estás em mim e eu em ti, que eles estejam em nós, para que o mundo creia que tu me enviastes, eu lhes dei a glória que me deste para que sejam um como nós somos um: Eu neles e tu em mim, para que sejam perfeitos na unidade e para que o mundo reconheça que me enviaste e os amaste como amaste a mim".

    Vejamos o que mais a Bíblia nos fala a respeito: Ef. 4,1-6: "Exorto-vos, pois – prisioneiro que sou pela causa do Senhor -, que leveis uma vida digna da vocação à qual fostes chamados, com toda humildade e amabilidade, com grandeza de alma, suportando-vos mutuamente com caridade. Sêde solícitos em conservar a unidade do Espírito no vínculo da paz. Sêde um só corpo e um só espírito, assim como fostes chamados pela vossa vocação a uma só esperança. Há um só Senhor, uma só fé, um só batismo. Há um só Deus e Pai de todos, que atua acima de todos, por todos e em todos".

    ResponderExcluir
  4. O que importa é que o novo testamento é igual nas duas biblias.. e lá fala tudo o que precisamos saber sobre o ensinamento de Deus que foi revelado novamente atraves de Jesus e de como alcançar a salvação eterna. Não precisamos brigar porque uma tem 7 a mais ou outra tem menos.. o importante é ler e entender o sacrificio de Cristo por nós para que todos possamos alcançar a salvação e o perdão de nossos pecados. No novo testamento tem as leis, as obrigaçoes que Cristo deixou para ser-mos seus seguidores.. não devemos brigar por conta de um ser catolico e o outro protestante.. e qual biblia é a mais certa.. mas deveriamos se unir para pregar o evangelio.. o que realmente Cristo nos deixou como tarefa :"Ide e pregai o evangélio". É isso que o inimigo quer.. que entramos em contenda sobre coisas superfolas em vez de nos preocupar com almas que estão sendo levadas por satanas por não saber o caminho a verdade e a vida.. que é Jesus Cristo. Religião significa ligar o homem a Deus, então a nossa religião tem que ser Jesus Cristo, o unico que liga o Homem a Deus. Jesus disse: Eu sou o caminho a verdade e a vida e NINGUEM vai ao pai a não ser por MIM. Fique na Paz e que o senhos abençõe vocês.

    ResponderExcluir
  5. O desejo de Cristo claro que não é Divisões entre a Igreja, mas, mediante os Dons Espirituais que Deus dá para a sua igreja, conforme o Espírito Santo os Concede, para que haja o Aperfeiçoamento dos Santos, para chegar a Plena Unidade da Fé, uma Só Fé, um Só Salvador.

    Deus chamou pessoas diferentes para tornarem Um Só assim como o Pai e o Filho são um.

    _________________________________
    Eu e o Pai somos um. (João 10:30)
    _________________________________

    Não digo de uma União Ecumênica assim como os da "Nova Ordem Mundial" mas mas essa união que vem de Cristo, não com acordos de Dogmas, Doutrinas dizendo "Não toque na minha feria que não toco na sua", Devemos fazer a vontade de Deus com as Obras que vêem D'Ele e não Obras dos Homens, tendo com o mesmo Conhecimento que provém de Cristo, não existe Duas Verdades, existe Uma Verdade. Basta ter a consciência entre Protestantes e Católicos entenderem essa União e querer mudar e aperfeiçoar o Corpo de Cristo que é a Igreja, Levantando e predestinando para um propósito único, não com divisão mas com Amor que é o Vínculo da Perfeição sem contenda de Palavras.
    ______________________________
    Rogo-vos, porém, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que digais todos uma mesma coisa, e que não haja entre vós dissensões; antes sejais unidos em um mesmo pensamento e em um mesmo parecer. (1 Coríntios 1:10)
    ______________________________
    Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo; (Efésios 4:12)
    ______________________________
    "Para que não haja divisão no corpo, mas antes tenham os membros igual cuidado uns dos outros.(1 Coríntios 12:25)".
    ______________________________



    Não morra defendendo a Doutrina Feitas por Homens ou por si mesmo, ouça a Voz do Espírito Santo e Aprenda a Aprender com Ele, para que saibamos discernir a voz do Espírito Santo, não confundindo com a nossa ou a do Inimigo, Praticando a Verdade Revelada por intermédio dos Ensinamentos do Espírito Santo e que seja derramado sobre nós o Espírito de Deus e saibamos qual seja a Verdadeira Doutrina a Sã Doutrina de Cristo que é somente UM.

    ResponderExcluir
  6. Irmãos, (e todos somente o somos por graça do Pai) parem com isso! O que muda no projeto salvífico consumado em Cristo se uma bíblia tem este ou aquele livro a mais?! Excelente e imparcial a explicação do autor. Sou católico e sigo minha doutrina. Paz e Bem.

    ResponderExcluir
  7. A real e verdadeira questão está embasada no resumo das leis feitas por Cristo Jesus. Ame o Senhor de todo seu entendimento e coração e ame ao próximo como a ti mesmo. Onde podemos encontrar tal realidade? Séculos de mortes em nome de Deus, idolatria a mulher escolhida por Deus para gerar seu filho. Será mesmo tão difícil perceber o que está por tras de tantos santos, tanta veneração a homens, usados por Deus sim, mas a honra e glória e louvor tem de ser dada ao único digno de receber. Uma miscelania de religiões encapsuladas. Por isso se manteve "UNA". Talves esse também seja o problema do atual protestantismo, cada divisão defende seu ponto de vista, assim como os apostolos defendiam as suas. A essência é Jesus, seu único caminho. Sua fé, seu arrependimento é o que te salvará.

    ResponderExcluir
  8. Só sei que os católicos não recebem o batismo com o Espírito Santo já é um fato suficiente para a doutrina católica não é a mesma que nas Evangélicas ou protestante, o evangelho fácil, largo, com festa pagã como São João, Carnaval, prossição para padre cicero, aparecida, São Jorge e etc... para mim Santo que veio em carne só Jesus e só e nada mas, como Jesus falou; aquele que me confessar será salvo. Santificado quando for-mos para o céu ai sim seremos santos, mas na terra na precisa-mos idolatrar ninguém porquê quando morre ninguém sabe para onde vamos as vezes o infeliz vai para inferno, dai os catolicos fica, viva a Santo Antonio, viva a Santo Agostinho a para né, não estou falando que eles foram para o inferno que fique bem claro, mas idoladria o culto para outro não é aceito por Deus a biblia das ambas parte Cristã fala sobre isso.

    ResponderExcluir
  9. Queridos irmãos e amigos: É fácil saber porque os livros apócrifos não foram escritos por inspiração Divina. Leia a Conclusão do 2º Livro de Macabeus, na Bíblia Católica. Qualquer pessoa com um pouco de bom senso saberá discernir o que é Inspiração Divina. Além disso, a Igreja Católica também dividiu o Salmo 10 em dois Salmos, ou seja, 10 e 11. Portanto, o Salmo 11 na Bíblia Protestante é igual ao Salmo 12 na Bíblia Católica, e assim por diante. Que o Sr. Jesus abençoe a todos. Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  10. Primeiros cristãos

    É a partir da morte de Jesus que se criou toda a tradição que gerou o Cristianismo. Ela foi obra primeiramente dos apóstolos, que se encarregaram de disseminar a nova doutrina, destacando-se Pedro - apontado por Jesus como o responsável pela fundação de sua igreja - e Paulo, que deu ao Cristianismo um sentido universal, tornando-o acessível a todos os povos pagãos (não cristãos) e descaracterizando-o como privilégio de um povo supostamente eleito por Deus.

    Duramente perseguidos, os cristãos tiveram de criar uma estrutura bastante sólida de organização como forma de sobreviver. No plano local, os presbíteros cuidavam de atender às necessidades espirituais dos fiéis. Surgiram, posteriormente, os bispos, encarregados de comandar a atividade dos religiosos em cada província sob sua autoridade. Essa estrutura, contando ainda com os metropolitas (bispos de capitais provinciais) e patriarcas (bispos das grandes cidades), era centralizada na figura do bispo de Roma, o papa. Assim, forjava-se uma estrutura centralizadora e altamente organizada, capaz de manter a coesão entre os fiéis e entre o próprio clero.

    As perseguições sofridas pelos cristãos, ordenadas por imperadores como Nero, Domiciano, Trajano, Marco Aurélio e Septímio Severo, tiveram um caráter mais político do que propriamente religioso. Primeiro, os cristãos recusavam-se a cultuar a deusa Roma, símbolo da unidade imperial, e a aceitar a divinização dos imperadores. E, segundo, graças a sua mensagem redentora, o Cristianismo obteve enorme sucesso entre os excluídos da sociedade romana - mulheres, pobres e, especialmente, escravos -, atestando o caráter socialmente perigoso da nova crença.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comentário histórico com viés em todo sentido. Mas, Continuando...essa divinização continuou-se até hoje outorgando o poder de perdoar pecados ao homem, o homem ser infalível em questões de doutrinas, fazendo-se chamar santo padre, sumo pontífice romano e assim por diante; o império romano continuou até os nossos dias.

      Excluir
    2. Jesus deu autoridade a Pedro que ele chefiaria sua Igreja, sua doutrina, tendo a chave do céu, o poder supremo na Terra, somente a baixo da Santíssima Trindade, logo o papa é o sumo pontífice, o santo padre, pois ele é sucessor do primeiro ungido e escolhido sacerdote por Cristo da Igreja Cristã que passou a ser chamada no século 3 de Igreja Católica Apostólica Romana! A todo aquele que quiser conhecer verdadeiramente a doutrina Católica, daquela que surgiu os protestantes que se apartaram da verdade por Lutero e Calvino, falsos profetas que até denigrem a Jesus em seus escritos pessoais, pesquisem o Catecismo da Igreja Católica, lá tudo está explicado em detalhes, cada ponto da doutrina de Cristo, qual Lutero destoou em prol de seu egoísmo e esquecendo-se de que Jesus disse que há uma só fé e divisão é um ato diabólico!

      Excluir
  11. A diferença entre evangélicos e católicos não é pelo que está na Bíblia e sim pelo que não está. Enquanto que os evangélicos têm sua fé fundamentada exclusivamente nas sagradas escrituras, os católicos baseiam-se também na tradição e nos dogmas da igreja, como: a assunção de Maria, a infalibilidade do papa, o purgatório, o culto aos mortos, culto aos santos, entre outros. Estes ensinamentos não são bíblicos e, portanto são alguns dos pilares que distanciam evangélicos de católicos.

    Fiquemos com a Bíblia, pois ela é a palavra de Deus, inspirada pelo Espírito Santo e fonte de toda a informação que o homem precisa para conhecer a Deus.

    ResponderExcluir
  12. Na verdade sr que vcs tem que entender e que cristo veio para cumprir pois quem vive na lei vive no pecado temos que viver pela graça de Jesus nosso salvador! Simplesmente igreja catolica não lembra que os idolatras não entraram no reino de DEUS! Maior fabrica de imagem e a igreja catolica. Tristão isso salmo 115.

    ResponderExcluir
  13. "Pelas mesma medidas que julgas, também serás julgado"

    - Para os cristãos o mais importante são os evangelhos, que em ambas as doutrinas se baseam-se em fonte única que é a vulgata latina, e que Jeronimo confessou que a adulterou em nome do Papa Damasio.

    Os livros que os protestantes se glorificam em não possuir, além de pertencer ao velho testamento, foram excluídos do canon judaico (conservador e sionista), ou seja; os mesmo judeus que perseguiram Cristo e os novos escritos da fé cristã, pois o concilio de Jamia definia que o espirito santo não deveria falar em outras linguás.

    Portanto Lutero aderiu á um concilio Anticristão, não aceitando os deutorocanonicos, assim como a doutrina de "Israel relógio de Deus", pregado pelos protestantes hoje em dia.

    Sob um forma mais lógica, todos estão submissos as doutrinas de homens, e só se libertarão disso pela educação séria e não pelas instituições definem um didática manipuladora.

    Sem isso não há a verdade de Cristo, pode ser qualquer outra verdade, mais não a de Cristo; o Salvador, Rei dos Reis.

    Portanto o que vemos aqui, e cada um dfender sua tése, sem conhecimnto algum de história.

    A Igreja Romana peca em idolatrar Maria.

    Mais os protestante não estão certos em julgar herege os livro judeu escritos em gregos, pelo simples fato de sancionar a algumas crenças divergentes das suas.

    Os Apóstolos usaram os livros dutorocanonicos, Jesus somente ele faz menção a doutrina do seio de Abraão, que em nhuma bíblia hebraica se diz. a não ser em Macabeus; assim como Paulo sita Enoch.

    Portanto a doutrina Protestante não é toda a palavra de Deus, quanto mais a católica; Os apóstolos não se limitaram no que deveriam estudar coisa que essa geração não faz; por estarem cabresteados á suas congrgações; que só querem controlar.

    http://aquariuspage.blogspot.com.br/2012/09/relogio-de-deus-conspiracao.html

    http://aquariuspage.blogspot.com.br/2012/04/qual-e-biblia-verdadeira-catolica-ou.html

    http://aquariuspage.blogspot.com.br/2013/06/besta-do-apocalipse.html

    ResponderExcluir
  14. Para que haja uma história alguém tem que conta-la! Para que haja bíblia primeiro houve quém falasse sobre as obras de Jesus , que pelo que sei não escreveu uma linha se quer? Essa é a Sagrada tradição que protestante algum terá conhacimento pois só a Igreja Cátolica a possue além do que o Cãnon da Biblia Cristã foi determinada pela igreja Catolica Apostolica Romana. E todos querendo ou não aceitam sua autoridade !! Pax Vo Biscum!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E, demais disto, filho meu, atenta: não há limite para fazer livros, e o muito estudar é enfado da carne.
      De tudo o que se tem ouvido, o fim é: Teme a Deus, e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo o homem.
      Porque Deus há de trazer a juízo toda a obra, e até tudo o que está encoberto, quer seja bom, quer seja mau.

      Eclesiastes 12:11-14

      Excluir
  15. A verdade é a bíblia cristã é um livro criado pela Igreja Católica Romana, a definição do cânon cristão demorou quatro séculos para ser realizada, e mesmo assim com várias objeções. Os livros do Novo Testamento foi escolhido a dedo pela Igreja de Roma. Na prática, os protestantes defendem o cânon judaico para o Antigo Testamento e o cânone católico para o Novo Testamento.

    Saudações agnósticas!

    ResponderExcluir
  16. Leiam a história sobre a Bíblia, mas leiam diversos autores, principalmente os de posições contrarias ao que vcs suponham serem corretas e tirem suas conlusões.

    ResponderExcluir
  17. Você que postou comentário sobre o batismo, é melhor se informar lendo com muita atenção a bíblia de gênesis a apocalipse, o único enviado por Deus e que teve o espirito santo realmente presente foi JESUS CRISTO, mesmo assim através de um ser humano como nós e que não era batizado, o foi posteriormente. Não há no mundo ninguém que tenha o poder de entregar bençãos do Espirito Santo a qualquer pessoa é a sua fé que dá abertura a entrada do Espirito Santo em seu coração e que é a verdadeira morada de DEUS. Melhor você estudar um pouco mais. Abraços.

    ResponderExcluir